TRANSLATION

Pesquisar neste blog

sexta-feira, 24 de setembro de 2010

2009: A LOTTO E A PROFUSÃO DE PATROCÍNIOS

Chega o ano de 2009 e crescia e expectativa pela nova coleção da Lotto para o tricolor. O Bahia respirarava o que deveriam ser novos ares, com novo presidente e um gestor profissional para o futebol, contratado a peso de ouro oriundo do arquirrival do tricolor. No evento de lançamento, muita festa, presenças ilustres com a do craque Daniel Alves e insatisfação imediata com o marketing do Bahia que resolveu mudar o escudo do clube, usando uma horrível bandeira tremulante e desfigurando nosso maior símbolo. Outro fato atípico e muito comentado foi o ex-presidente rubronegro vestindo uma camisa nova da Lotto que mal caberia em 1/3 do seu corpanzil... Hilário! Fora o fato de que o lançamento das camisas aconteceu no dia 30 de Junho, exatamente na virada do 1° para o segundo semestre!!! Ou seja, o time começava o brasileirão jogando de camisa velha e terminava jogando de camisa nova (veja fotos do lançamento aqui)
No que concerne às camisas, embora muitíssimo simples, toda branca, inclusive a gola, um friso em relevo também branco na altura do peito que na manga passava a ter uma "dupla face" interna em azul, a camisa agradou. Pela primeira vez em muitos anos, a camisa branca não tinha nenhum detalhe azul ou vermelho. Material de primeira qualidade e, na primeira remessa, sem patrocínio master o que a deixou mais elegante. A tricolor foi um pouco mais polêmica. Na verdade, era bicolor, com listras largas em azul e vermelho com o branco ficando relegado apenas a gola redonda, que tinha uma leve assimetria, deixando um dos ombros vermelhos inteiramente. Sozinha, não impressionou muito, mas, no conjunto com short azul e meiões vermelhos tornou-se bastante imponente e terminou caindo no gosto da galera. Vistas lateralmente, as camisas aparentavam ser inteiramente vermelhas de um lado ou inteiramente azuis de outro, dando um efeito semelhante à uma camisa do Paraná Clube, por exemplo. Todas elas tinham um logotipo da Insinuante no peito (na listrada, vinha dentro de uma caixa branca de gosto duvidoso, que quebrava a harmonia das listras).
No decorrer do ano, foram inúmeros os patrocínios usados pelo tricolor, muitos deles temporários, o que nos dava uma camisa diferente a cada três ou quatro meses (e que leva qualquer colecionador à loucura! Rsrs). Primeiro, o pequeno símbolo da Insinuante no peito, e o Vedacit nas mangas, presentes desde o lançamento; depois, tivemos City Park Brotas e City Park Acupe, que eram empreendimentos da OAS e que estamparam suas marcas em apenas 4 jogos cada, sempre em casa (por este motivo, só foram aplicados na camisa branca); tivemos também um patrocínio relâmpago da Diagnoson, que só foi usado no jogo contra o Figueirense fora de casa; depois, já em 2010, a OAS passa a estampar sua marca na frente, como patrocinador master e o “IN” passa para as mangas; e finalmente, não satisfeita com o tamanho de seu logotipo, a OAS resolve agigantar sua marca na camisa, estampando um patrocínio meio que desproporcional. Isso sem falar no BMG, usado nos ombros apenas nas finais do baianão, 2010 e do Incomaf, onipresente nas costas da camisa. Ufa! Chega de tanto patrocínio!

Não tivemos 3° uniforme nessa temporada, depois de 2 anos seguidos, 2007 e 2008, com essa opção alternativa.
Em campo, nada do prometido se cumpriu e o time oscilou entre o meio e a rabeira da tabela, em alguns momentos até sendo ameaçado pela degola para terceirona mais uma vez. No final, entre mortos e feridos salvaram-se todos, até a diretoria que até esta data, ainda deve uma série de promessas não cumpridas ainda manda no Bahia. Cabeça mesmo, só rolou a do antigo mandatário do time de canabrava, que teve vida curta no Bahia.



Acima, as camisas 1 e 2 em ação, praticamente limpas, sem patrocínio master, da forma que foram lançadas originalmente (apenas o IN no peito e Vedacit nas mangas)


Veja, na sequência abaixo, as diversas variações de patrocínio que as camisas de 2009 tiveram ao longo de sua existência:

Patrocínio City Park Brotas, usadas inicialmente em 4 jogos em casa na Série B 2009


Aqui, com patrocínio City Park Acupe, também usadas em 4 jogos em casa, na sequência do empreendimento de Brotas - percebam que a cor da palavra "City" é diferente


Patrocínio Diagnoson, utilizado apenas contra o Figueirense, fora de casa, pela Série B 2009


Depois do sucesso dos City Park´s, a OAS assume o patrocínio master com sua própria marca (inicialmente pequena). Saem o "IN" do peito e o Vedacit das mangas.


Ainda com patrocínio OAS pequeno, o "IN" volta à camisa, desta vez nas mangas


Já no campeonato baiano 2010, a OAS agiganta sua marca na camisa, que ficaria assim até o final de sua trajetória, em agosto de 2010


Na fase final do Baianão 2010, a camisa estampa o patrocínio BMG nos ombros

Um comentário:

  1. Salve amantes do Esquadrão!!

    Tenho as duas camisas, mesmo achando essas, os modelos mais sem graça lançados até hoje pela LOTTO.

    Padrão 1(branca): Achei a camisa mais sem graça até hoje lançada pela marca, aquela espécie de costura no peito logo acima do escudo e da logomarca da fabricante achei totalmente desnecessária, poderia simplesmente ser um tecido único, sem a costura.

    Padrão 2(listrada): O uniforme 2 do Esquadrão é tricolor e não bicolor, afinal estamos falando do Bahia e não do Paysandu, achei que foi um bola fora da LOTTO nesse sentido, tá mais para Barcelona do que pro Bahia, ainda assim eu comprei, sou um tricolor incorrigível.. graças a Deus.

    Enfim é isso.

    Grande abraço, camaradas.

    Paulo Brazil.

    ResponderExcluir