TRANSLATION

Pesquisar neste blog

quinta-feira, 3 de setembro de 2009

PENALTY - PARTE 2



Em 98, depois de 3 temporadas com a mesma camisa (a mesma desde a sua estréia no tricolor), a Penalty renovou os uniformes do Bahia, promovendo mudanças que, mais uma vez, seriam marcadas pelas inovações. Na camisa branca, saíram as listras horizontais na barriga e entraram duas faixas (uma azul e outra vermelha, mais fina) acompanhando toda a extensão dos ombros e indo até às mangas. No uniforme 2, a inovação contou com uma dose maior de ousadia: as inéditas e largas listras diagonais, vermelhas e azuis, intercaladas por finas listras brancas. A boa qualidade dos tecidos (um “jacquard”, segundo nosso amigo Ronei) se manteve nestas novas camisas, com as já tradicionais marcas-d´água em degradê. As inovações não pararam por aí: pela primeira vez, a Penalty adotava seu logotipo e o escudo do clube em alto relevo flocado (aveludado). Pensando no torcedor, ela fabricou uma versão mais barata da camisa (conhecidas hoje como “suporter”), com tecido mais simlples em relação à camisa "de jogo" e escudo e logotipos apenas pintados no tecido, como forma de popularizar a camisa entre os torcedores. É possível perceber a diferença entre os dois tecidos numa das fotos abaixo.

No ano seguinte, em 99 (até a metade da Série B), a camisa manteve o mesmo lay-out, com apenas uma mudança bastante sutil: a fonte dos algarismos da numeração às costas, que passou a ter um visual mais arredondado, com o logotipo da empresa ganhando maior destaque dentro do algarismo.

A boa qualidade das camisas também se revelava nos detalhes, como o nome “E.C. Bahia” bordado atrás da gola e a presença do escudo tricolor até mesmo na etiqueta interna, presentes já na versão anterior

Lembro que a estréia dessa camisa ocorreu na Fonte Nova, num BA-VI, de forma bastante inusitada: os jogadores adentraram ao campo a bordo de 3 vans H100 da Hyundai, numa criativa forma de promover a marca da montadora coreana, que também estreava sua marca nas novas camisas naquela oportunidade.

Vestindo estas camisas, o Bahia passou por um dos momentos mais vergonhosos da sua história, como a péssima campanha na Série B de 98 (quase rebaixado à Série C) e o papelão protagonizado junto ao rival no episódio da final do campeonato baiano de 99. O título baiano de 98 amenizou a passagem dessa camisa no Bahia.

Acima, a diferençao na tipografia entre 98 (esq) e 99 (dir)


Acima, é possível perceber a diferença entre os tecidos das camisas "de jogo" e a "de tocedor" (clique na foto para aumentar)


Fábio Baiano vestindo a camisa branca em 98 (com Marquinhos ao fundo)


Time campeão baiano de 98

9 comentários:

  1. Vocês são dose...Sempre com ótimos posts.

    Seguinte: Essa camisa usamos até METADE da segundona 99. Depois vieram aquelas com cara de camisa de colégio, de gola pólo com o V em vermelho....Vinham com um botton alusivo ao titulo de 88 (pelo menos a minha veio).

    Eu estava nesse Ba-vice da Hyundai caloteira. 3x3, com gol de Everton Luis no finalzinho.

    Essa camisa diagonal é a mais ODIOSA de todas as que o Bahia usou. troço feio da porra...

    ResponderExcluir
  2. Ronei, na verdade esse botton vinha naquela camisa de 98, aquela branca comemorativa dos 10 anos do título brasileiro (é até ilógico vir um botton comemorativo de 10 anos com dois anos de atraso... hehehe... brincadeira). Eu lembro de uma camisa assim vendida no ML, será que foi essa que vc comprou??? Era de 2000/01, mas com o bottom na gola.
    Cara, eu lembro bem dessa cena do entrada em campo... as vans vieram subindo pelo fosso, pelo lado onde ficava a Bamor, subiram pra pista de atletismo e pararam na frente dos bancos de reserva... aí abriram as portas e os jogadores saíram. Mais criativo, impossível!!! hahahaha
    E quanto À diagonal, bom, é um caso de amor ou ódio... eu odiava, depois que passei a colecionar eu passei a gostar (muito embora eu não ouse sair na rua com ela, rsrsrs).
    Um abraço!

    ResponderExcluir
  3. Ah, outra coisa: certeza que o Bahia usou essa camisa só até o meio da segundona de 99??? Eu tinha na cabeça que o Bahia tinha jogado aquele quadrangular final contra Goiás, Vila e Santa ainda com essas camisas... mas não tenho certeza. Agora eu estou no trabalho e por isso não posso acessar Youtube, mas quando cehgar em casa vou tentar ver algum vídeo daqueles jogos. Se vc puder confirmar isso antes, agradeço.
    Até!

    ResponderExcluir
  4. Arilde e Ronei, não tenho certeza absoluta, mas acho que no quadrangular final da Segundona, a camisa era branca, lisa com gola polo. Com relação ao botom, acho que vinha na azul com a lateral vermelha e com listras brancas no centro... Abç

    ResponderExcluir
  5. Ruy e Ronei... realmente, tava fuçando aqui o Youtube e vi que, por exemplo, naquele 4x4 contra o Goiás no Serra Dourada o Bahia já usava essa camisa branca de gola polo mesmo, só que sem patrocínio. A única coisa que ficou destas camisas do post foram os algarismos nas costas, que não mudaram. De qualquer forma, já corrigi o post. Valeu pelo toque (mais uma vez!!!).
    Ruy, pode até ser que o bottom viesse também na camisa azul, mas tenho certeza absoluta que esse item começou a ser vendido junto com a camisa de 98 dos 10 anos do título brasileiro.
    Se eles continuaram vendendo nos anos seguintes, aí eu não lembro.

    ResponderExcluir
  6. Exatamente. Os bottons saíram nas camisas comemorativas, mas sei lá pq, começaram a vir nas camisas seguintes à 1999. Eu comprei a minha durante a copa JH, e veio o botton. O detalhe é que a penalty abandonou essa numeração durante a copa JH (eu tinha uma camisa 28, do Marcos Chaves, que namorava uma amiga minha....E perdi num "divórcio" para uma ex...)

    Estreamos a camisa "colegial" no jogo contra o Avaí, na ressacada, se não me engano...

    ResponderExcluir
  7. galera:
    essa camisa foi lançada em 97,esse baXvice foi no ano de 97!o resto esta formidavel!!

    abraçao

    ResponderExcluir
  8. Salve tricolores!!!


    Com essa segunda coleção, tenho uma relação meio estranha, gosto e desgosto. Essa camisa branca é simplesmente linda, gostei mesmo, já a tricolor...Deus me livre!!! Isso é uma blasfêmia as tradições do Bahia.


    Paulo Brazil.
    Amante do Esquadrão.

    ResponderExcluir